Brand persona e buyer persona: quais as principais diferenças e importância no seu negócio?

Persona é um termo familiar a todo profissional de marketing, sobretudo se ele atua na área de conteúdo. No entanto, muita gente ainda não sabe — ou sabe pouco — que essa palavra pode se referir a dois conceitos distintos: brand persona e buyer persona.

Saber a diferenciação exata entre eles é essencial para entender a importância e o impacto que podem ter nos resultados da estratégia de marketing da sua empresa. Enquanto um diz respeito à marca, outro se refere ao público — como os próprios termos deixam claro.

Para ajudar você a compreender direitinho os conceitos de brand persona e de buyer persona, a diferença entre eles e como aplicá-los, preparamos o post de hoje. Boa leitura!

Buyer persona

Uma boa estratégia de marketing deve ter como base o público que se deseja atingir. Conhecer a fundo o seu cliente em potencial, ou cliente ideal, é fundamental para acertar a mão, produzindo um conteúdo que o agrade, resolva seus problemas, e que permita a marca estabelecer uma relação mais estreita com ele.

Definição

Ao contrário do público-alvo, que é amplo e tem como base um grupo de pessoas com características em comum — como gênero, faixa etária, renda etc. —, a buyer persona é mais humanizada e tem atributos bem definidos.

Para além do perfil demográfico e sócioeconômico, a buyer persona tem definidos sua profissão, dados familiares, anseios e dificuldades, gostos pessoais, hábitos e necessidades. Assim, com esse detalhamento de informações, fica muito mais fácil atingir de maneira mais eficiente as pessoas.

Por possibilitar conhecer melhor as necessidades do cliente e desenvolver uma comunicação orientada e assertiva, a criação da buyer persona ajuda, consequentemente, a aumentar o número de leads e conversões, além de melhorar o relacionamento com os clientes.

Brand persona

Já não é novidade para ninguém que toda empresa deve ter uma cara, um tom para se expressar. Ainda mais em época de transformação digital, em que a interação com as pessoas está cada vez mais intensificada, definir os traços de personalidade e o estilo de comunicação é imprescindível.

Se a buyer persona tem como foco o cliente, a brand persona vai para o lado oposto e tem como base a empresa. Por meio dela vai definir o estilo de linguagem da marca e como se comportará diante do público. Ela é tão importante quanto a buyer persona, pois tem a ver com os valores da marca e como serão exibidos publicamente.

Definição

Podemos definir brand persona como a personificação dos valores da marca, a “cara” da empresa. Como sua empresa quer ser conhecida pelos clientes, como gostaria que eles te reconhecessem ou fosse identificada?

A personificação pode ser feita pelo tom da fala — mais ou menos formal — ou até por meio de um mascote ou garoto-propaganda. O Mickey Mouse representa a Disney, a Lu é a persona do Magazine Luiza, e o Pinguim do Ponto Frio já virou case de sucesso na internet.

O atendimento em uma loja física também exibe traços da brand persona. Se você já foi ao restaurante Outback sabe do que estamos falando: garçons sempre simpáticos e gentis atendem aos clientes.

Note que a brand persona ajuda a marca a se conectar com os clientes, aumentando a aproximação por conta da empatia criada — seja no conteúdo produzido, no atendimento virtual ou presencial, nas peças promocionais, e por aí vai!

Com este artigo, esperamos que tenha ficado clara a relevância da buyer persona e da brand persona. Se esses conceitos já são importantes separadamente, se colocados em prática conjuntamente é garantia de ampliar o sucesso de qualquer estratégia de marketing.

Quer se aprofundar ainda mais sobre o tema? Neste post, ensinamos a como criar uma buyer persona. Não deixe de conferir!

Compartilhar

Deixe um comentário