3 soluções de marketing digital essenciais para sua empresa

Se você é um profissional antenado no mercado e nas tendências de consumo, certamente já trabalha soluções de marketing digital na sua empresa, com base em um planejamento consistente. Assim, já vem fazendo o “feijão com arroz” sem muita dificuldade, certo?

Para profissionais como você, os desafios hoje têm menos a ver com presença digital e mais a ver com resultados. Ou seja, você busca soluções que possam promover a geração de leads qualificados, o aumento da taxa de conversão e a melhoria da performance de vendas.

Tudo isso, é claro, empregando menos esforços, recursos e, principalmente, tempo. Mas, afinal, como conseguir isso? É o que veremos neste artigo! Confira, a seguir, três soluções de marketing digital essenciais para sua empresa:

1. Inbound Marketing

O Inbound Marketing trata-se de uma estratégia que busca criar um canal de comunicação com um público-alvo, oferecendo um conteúdo de seu interesse. Ele também é conhecido como Marketing de Atração exatamente pela sua forma de agir.

Ou seja, no lugar de “empurrar” uma propaganda, interrompendo o consumidor, ele o atrai, oferecendo algo valioso: conhecimento. Essa atitude gera confiança na empresa, abrindo caminho para a apresentação de soluções.

Essa estratégia de marketing gera economia de tempo e aumenta o ROI das ações porque trabalha não apenas a quantidade de leads, mas também sua qualidade. Seu processo consiste em atrair, converter, vender e encantar — para isso, é preciso percorrer todos os estágios do funil de compras. Vamos ver como?

Topo do funil

Aprendizado e descoberta: nesse início da jornada, a persona está em busca de resolver um problema. Dessa forma, os conteúdos indicados aqui são aqueles fáceis de consumir, como posts de blog e de redes sociais, vídeos e infográficos.

Nesse estágio, a empresa deve entregar à persona novos conceitos, que a ajudem a solucionar o seu problema, para começar a se tornar uma referência naquele assunto. Ainda não é a hora de mencionar a sua marca — afinal, o cliente não está pronto para comprar.

Meio do funil

Consideração e intenção: após entender o seu problema, a persona busca uma solução. Essa é uma etapa muito importante, pois, embora o potencial cliente ainda não esteja pronto para a compra, um bom trabalho aqui quase sempre garante o próximo passo na direção certa.

Então, ofereça um conteúdo mais consistente, como blog posts mais detalhados e eBooks, em troca de dados. Transforme leitores em leads e crie fluxos de nutrição para manter seu interesse.

Lembre-se de que, quanto mais valiosa for sua oferta de conteúdo, mais dados seu cliente estará disposto a oferecer. E, com mais dados, mais você sabe sobre ele, podendo ser mais assertivo em suas estratégias.

Fundo do funil

Avaliação e decisão: agora o consumidor já sabe do que precisa e vai escolher a empresa com a melhor solução. Embora pareça que o jogo já está ganho, não se engane! Manter uma presença forte e consistente nessa etapa é o que vai garantir a conversão.

Por isso, chega a hora de agregar a força de vendas à sua estratégia e de usar as informações que ela produz para fazer uma abordagem assertiva. Assim, abuse dos estudos de caso, pesquisas, links para as páginas do produto — enfim, tudo que mostre que você tem a solução que a persona procura.

2. Ferramentas de automação

Automação de marketing é uma das soluções de marketing digital que, provavelmente, mais trará resultados consistentes para sua empresa e, com certeza, mudará seu patamar de produtividade. Se você já tem uma base consistente de e-mails de clientes, um bom sistema de captura de leads e um volume considerável de dados para gerir, é hora de pensar nela. Veja os benefícios disso:

Economia de tempo

A automação de marketing, obviamente, não dispensa a atuação dos profissionais. A inteligência humana é que vai definir as estratégias, configurar os fluxos de nutrição, parametrizar o Lead Scoring, dentre outras tarefas. Mas passada essa fase inicial e com as ferramentas fazendo a parte operacional, os profissionais de marketing podem se ocupar das estratégias e análises de resultados.

Além disso, o score dos leads e os fluxos de nutrição entregarão para a força de vendas os contatos mais “quentes” nas horas certas, aumentando as chances de fechar negócio — e, o melhor, investindo menos tempo nisso.

Gestão dos leads

O Lead Scoring, citado no tópico anterior, é uma técnica de qualificação e priorização de leads para identificar aqueles que estão mais prontos para a conversão. Ele funciona por meio de um sistema de notas (score), e os sistemas de automação completos têm critérios e pesos baseados no histórico de resultados da empresa.

Essa gestão é indispensável para uma boa estratégia de Inbound, já que aumenta consideravelmente as chances de conversão.

Ainda nos estágios mais iniciais do funil de compras, os sistemas de automação permitem programar as ferramentas para entender, exatamente, qual é o momento em que se encontra cada lead em seu fluxo de nutrição — entregando, assim, os conteúdos certos.

Geração de relatórios

Com tanta informação contida nos sistemas, esses softwares produzem relatórios consistentes, que podem ser gerados automaticamente — ou, no caso das ferramentas mais complexas, ser personalizados conforme a necessidade da sua empresa.

Muitos também geram gráficos e comparativos que permitem a análise de dados estratégicos para otimização de campanhas e criação de novas ações. Afinal, a mensuração e a avaliação dos resultados é uma das etapas mais importantes de qualquer estratégia de marketing digital.

3. Redes Sociais

Mesmo não sendo uma novidade no marketing digital, as redes sociais se reinventam a todo momento, logo, é preciso continuar atento a elas. Se bem utilizadas, elas agregam valor à sua estratégia e entregam resultados relevantes.

O ano de 2017 foi marcado por uma série de novidades nessa área, como o boom da produção de conteúdo em vídeo e a diminuição severa do alcance orgânico das postagens no Facebook, ocasionada pela mudança de algoritmo pela rede.

O uso de chatbots para o SAC 2.0 nas redes sociais também experimentou um grande aumento no último ano e, para 2018, tudo indica uma consolidação desses movimentos que se iniciaram em 2017. Confira!

Inteligência artificial

Se a automação de marketing já é uma realidade e uma necessidade, a Inteligência Artificial (IA) só vem a somar. Essa tecnologia vai permitir testar simultaneamente centenas de variações de anúncios nas redes sociais, que vão aumentar automaticamente a distribuição das melhores publicações.

Outra aplicação de grande relevância tem a ver com o monitorando das redes. Hoje, por exemplo, já existem sistemas de IA que permitem o reconhecimento automático de imagens em fotos e vídeos compartilhados pela web, o que facilita o monitoramento de menções quando não há citação nominal da marca nem o uso de hashtags.

A volta do QR Code

Em 2017, a Apple adicionou um leitor de códigos QR ao iOS 11. Agora, basta apontar a câmera do iPhone para o código e ele já é ativado. Isso facilita seu uso e o coloca de volta ao jogo — principalmente se levarmos em conta que 700 milhões de donos de iPhone têm um scanner à mão.

Assim, o uso desse código nas redes sociais com criatividade, inteligência e estratégia permitirá criar interações que extrapolem o mundo virtual, gerando experiências de valor entre usuários e marcas. Imagine, por exemplo, fazer um post de um novo empreendimento imobiliário e, por meio do QR Code, levar o internauta a uma visita 360º ao apartamento decorado!

A ascensão da “nuvem”

Desde a compra do LinkedIn pela Microsoft, as corporações no mercado dos softwares despertaram para aprimorar os recursos de redes e sociais e se manter no jogo.

Adobe, Salesforce, IBM e Oracle vêm investindo em melhorar suas nuvens de marketing com recursos de redes sociais. O resultado disso são plataformas que aumentarão a produtividade e produzirão conteúdo personalizado nas mídias digitais, aumentando o poder de conversão e os resultados.

Compras pela rede

Em janeiro deste ano, Instagram e Facebook implantaram recursos que permitem ao usuário comprar pelas redes sociais. A funcionalidade no Instagram assemelha-se a uma loja virtual. Já no Facebook, o Marketplace pode ser comparado a um espaço de classificados, já que é bastante usado por pessoas físicas.

Embora ainda não seja possível completar totalmente o processo de compras pelas redes, as novas funcionalidades, no caso do Instagram, incluem uma aba no perfil com a função de catálogo, exibição de preços e link para a loja virtual pelo botão “Comprar agora”. Posts com a nova função são facilmente identificados pelo ícone de uma sacola de compras.

Já o Marketplace do Facebook tem como diferencial o fato de o usuário poderá ver os anúncios mais próximos fisicamente, baseado em dados coletados pelo aplicativo.

Enfim, essas foram 3 das principais soluções de marketing digital que têm despontado nos últimos anos. Agora que as conhece melhor, basta aplicá-las na sua empresa!

E, se gostou deste post, aproveite para conhecer outras soluções digitais essenciais que uma agência pode oferecer!

Compartilhar

Deixe um comentário