Geomarketing: como pode ajudar na divulgação de campanhas imobiliárias?

Começo este texto fazendo um desafio: tente se lembrar dos lugares onde esteve no último mês. Provavelmente, você foi ao supermercado ou em lojas de conveniência, em alguns restaurantes e shoppings. Caso tenha filhos, também deve ter visitado parques e lojas de artigos infantis, além de fazer com frequência o circuito escolinha: aula de inglês, natação, balé ou judô.

Lembrou? E, agora, com essa lista mental, consegue perceber como sua presença em todos esses locais diz muito sobre você? Pois bem, essa é a base do geomarketing: uma estratégia de marketing que usa a inteligência sobre a localização das pessoas para criar e otimizar campanhas, alcançando o público-alvo na hora e locais certos.

Entenda como ele pode ser usado para ajudar nas estratégias de marketing no mercado imobiliário.

Como funciona?

Embora já existam há algum tempo, com o marketing digital as estratégias de geomarketing ganharam força, pois a tecnologia trouxe verdadeiros “rastreadores” de pessoas para nosso dia a dia, como o endereço de IP dos computadores e o GPS — presente em cada aparelhinho de celular que está sempre grudado em seu usuário.

Assim, por meio dos dados gerados a partir da localização do público-alvo, é possível traçar as características dessa audiência, seus hábitos de consumo, sua divisão de tempo entre trabalho, tarefas e lazer, sua constituição familiar e, assim, desenvolver estratégias de marketing mais eficientes.

Como utilizá-lo no mercado imobiliário?

O uso do geomarketing no mercado imobiliário não poderia fazer mais sentido. Afinal, a localização é um fator de grande importância na decisão de compra de um imóvel. Sabemos que cada bairro ou região tem suas características próprias, formadas por aspectos geográficos, pelas pessoas que moram lá e compõem os aspectos culturais, pelo comércio local, entre outros.

Assim, a estratégia pode ser usada para:

  • Fazer um estudo das características socioeconômicas da população de determinado bairro, onde será implantado um novo empreendimento imobiliário;
  • Levantar as conveniências próximas ao empreendimento e, a partir do conhecimento do público, destacar na campanha de divulgação aquelas que são mais relevantes para ele;
  • Compreender os locais, dias e horários de maior movimento para planejar ações de marketing in loco, como eventos, ativações, panfletagem ou colocação mídia externa;
  • Gerar dados sobre o bairro e o perfil do público que serão utilizados para a elaboração dos argumentos para a área de vendas;
  • Aumentar a precisão da segmentação do público-alvo em campanhas de mídia on-line;
  • Aplicar o geofencing, ou seja, a exibição de anúncios on-line em tempo real, ativada pela movimentação do usuário que é captada pelo GPS.

Como você pode ver, as possibilidades são muitas. Com o uso do geomarketing é possível, até mesmo, prever o valor futuro de determinada região e compreender como o imóvel está inserido nesse contexto, para antecipar-se à concorrência em questões como promoção e precificação.

A verdade é que, quanto mais informação organizada sobre seu negócio você tem, mais bem preparado estará para garantir as tão desejadas conversões de vendas.

E, por falar nisso, que tal checar este artigo sobre como melhorar a taxa de conversão de vendas no mercado imobiliário? Com certeza você vai gostar!

Compartilhar

Deixe um comentário