Tendências do mercado imobiliário: como a inteligência artificial está ajudando a transformar o setor

Apesar de o mercado imobiliário ser um tanto conservador, quem atua na área está cedendo aos encantos da transformação digital. Nesse cenário, é importante acompanhar as tendências do setor para se atualizar, não se tornar obsoleto e otimizar os resultados.

Há alguns anos, falar de inteligência artificial era coisa muito distante para o mercado imobiliário, mas hoje esse recurso está cada vez mais presente na rotina das empresas. Tanto no atendimento ao cliente quanto na avaliação de bens, agora é possível acessar ferramentas de gestão mais eficientes.

Neste artigo, vamos mostrar algumas utilizações da inteligência artificial para o mercado imobiliário, tornando seus processos mais eficientes e suas taxas de conversão maiores. Continue a leitura!

Usos da inteligência artificial no mercado imobiliário

1. Avaliação de imóveis

Para precificar um imóvel, é preciso analisar uma série de fatores que incluem desde a condição atual do bem, o preço médio da região e até mesmo a previsibilidade de valorização do local. No entanto, novos recursos estão modificando esse padrão.

Um novo jeito de fazer isso é a inteligência artificial. Um software é alimentado com informações do mercado imobiliário, como valor dos imóveis vendidos em cada região, valor dos imóveis por tipologia, quantidade de imóveis vendidos, entre outros. Depois, quando um corretor quiser precificar um imóvel, basta inserir as informações relativas a ele, que esses dados serão comparados com as do sistema e um preço será sugerido. Ao corretor, cabe fazer os ajustes, caso sejam necessários.

2. Recomendação de imóveis

A recomendação de imóveis também ganha mais qualidade e velocidade com a inteligência artificial, além de melhorar muito a experiência do cliente.

Por meio de informações demográficas existentes em bancos de dados, como idade, sexo e local de moradia, é possível fazer combinações com outros tipos de informações de geolocalização e interesses, por exemplo. Esse cruzamento de dados ajuda o software a exibir os imóveis ideais para as necessidades de cada usuário.

Essa grande quantidade de informações existentes nas redes, chamada de Big Data, é alimentada a todo instante, de acordo com a navegação das pessoas. Quando alguém acessa a internet, essa pessoa deixa “rastros” sobre seus interesses, que podem ser usados mais tarde para o envio de anúncios a ela.

3. Chatbot

As novas tecnologias estão transformando o mercado imobiliário. Imagine um funcionário que pode atender centenas de pessoas ao mesmo tempo, tirar dúvidas e resolver pequenas pendências? O chatbot é um robô que pode ser programado para assumir esse papel por meio de interações amigáveis com o cliente.

Na prática, o bot é programado para responder aos principais questionamentos do cliente. Um robô que simula um atendente on-line.

Entendendo que muitas pessoas entram em sites imobiliários após o horário de trabalho, os chatbots são muito úteis para prestar esse primeiro atendimento fora do horário comercial, quando geralmente os corretores não estão mais trabalhando. Além de tudo, eles ajudam a reduzir os custos envolvidos na manutenção e no treinamento de uma equipe de atendimento, por exemplo.

Se quiser saber como um chatbot pode tornar mais eficientes os processos das empresas do mercado imobiliário, recomendo a leitura deste outro artigo.

Mas existem chatbots com e sem inteligência artificial. Você sabe a diferença entre eles?

Bots que não utilizam inteligência artificial são programados para realizar diálogos simples, com perguntas e respostas predefinidas. Já os chatbots com inteligência artificial aprendem conforme interagem com os usuários. Ou seja, quanto mais utilizados são, mais inteligentes ficam.

Ter um chatbot com inteligência artificial pode ser de grande utilidade, mas também é muito mais trabalhoso, porque ele vai precisar ser ensinado diariamente para melhorar sua capacidade de atendimento, o que demanda tempo.

Um chatbot “bem treinado” poderia, por exemplo, comparar preços de imóveis em vários sites ao mesmo tempo ou até sugerir o apartamento ideal para um cliente que lhe dê algumas informações sobre a sua personalidade e suas necessidades, coisa que muito corretor hoje em dia tem esquecido de fazer!

4. Anúncios inteligentes

O mercado imobiliário não funciona sem publicidade. Afinal, as pessoas precisam conhecer o serviço para adquirir uma casa, um apartamento ou um ponto comercial. Hoje, além da publicidade tradicional, existem os anúncios inteligentes.

Funciona assim: um sistema recebe a notificação de que um novo imóvel está disponível para venda. A partir disso, a tecnologia age de maneira a identificar uma segmentação de público que poderia se interessar por esse imóvel. Diversos anúncios são criados e testados com imagens, títulos, textos e layouts diferentes. Esses anúncios serão exibidos para públicos com interesses em comum, mas com perfis diferentes, e vice-versa. Conforme os anúncios são clicados, a inteligência artificial entende quais performam melhor para cada tipo de público e, dessa maneira, fazem as otimizações necessárias para que as campanhas desempenhem melhor.

5. Qualificação de leads

Estudos do mercado imobiliário mostram que menos de 40% das pessoas que entram em contato por meio de um site de imóveis estão realmente interessadas em falar com um corretor; a maioria está apenas pesquisando. A inteligência artificial pode otimizar o tempo do corretor de imóveis, ajudando a identificar quais leads têm mais propensão a fechar a venda em pouco tempo e direcionar esses prospects para a equipe de vendas.

Dessa maneira, os corretores recebem leads mais qualificados, enriquecidos com dados como nome, e-mail, telefone, tipo de imóvel que buscam, onde querem morar, em quanto tempo pretendem comprar, quanto estão dispostos a investir etc.

Uma pesquisa realizada pela empresa Hypnobox, com base em 2.200 clientes atendidos por meio de chatbots, indica que a taxa de conversão de leads para vendas aumentou oito vezes quando houve uma pré-qualificação realizada por robôs.

A inteligência artificial chegou ao mercado imobiliário para ficar. Ser resistente às novas tecnologias é perigoso, dada a velocidade com que o mundo está se transformando. É preciso se preparar para lidar com essa transformação, mantendo a competitividade de seus negócios e não sendo “atropelado” pelo futuro.

Gostou de conhecer essas tendências do mercado imobiliário? Continue buscando informações relevantes para obter melhores resultados e se destacar dos concorrentes.

Aproveite para assinar gratuitamente a nossa newsletter e receber artigos com dicas valiosas para o seu negócio diretamente na sua caixa de entrada.

Compartilhar

Deixe um comentário